Cuidado com os apps do Facebook, seus dados podem ser usados contra você!

facebookEsse aplicativo Lulu permite que mulheres avaliem seus amigos homens com o login do Facebook. A revanche foi a promessa do app Tubby, que permitiria que homens fizessem a mesma coisa. É exatamente ai que esquentou a discussão, com usuários de ambos os sexos querendo sair da brincadeira a qualquer custo.

Mas o que pouca gente sabe, é que a prática está de acordo com a política de uso do Facebook! Quando acessa, você concorda ao se cadastrar no serviço marcando aquela caixinha: “Eu li e aceito os termos”. Ao marcar, abre-se essa prerrogativa para que seus dados sejam usados por aplicativos, e pelo próprio Facebook.

Quando você acessa um jogo, aplicativo ou site conectando-se usando a conta do Facebook, ou adicionando um aplicativo à sua linha do tempo, você pode estar fornecemos à eles suas informações básicas, o qual inclui seu número de identificação de usuário e suas informações públicas, além da rede de amigos.

Em outras casos por exemplo, quando um amigo se cadastra em um aplicativo de terceiro (Instagram, Foursquare, Lulu, etc), automaticamente suas informações públicas (nome de perfil, foto de perfil e lista de amigos) vão junto para o banco de dados desse app, mesmo que você nunca tenha usado, através do seu amigo você acaba sendo parcialmente inserido.

É claro que para conseguir outras informações, como fotos ou postagens por exemplo, o app precisa pedir uma permissão específica, que na maioria das vezes nem lemos, e aprovamos! Segundo o próprio Facebook em seu site: “Sua lista de amigos ajuda o aplicativo a tornar sua experiência mais social porque permite encontrar seus amigos nesse aplicativo”.

Como impedir? Bem, no caso do Lulu, um homem que não queira ser avaliado no aplicativo, pode “descadastrar” seu perfil, mas esse “descadastro” só é feito depois que um amigo levou suas informações públicas ao aplicativo.

Agora, uma outra forma é acessar as configurações de privacidade do Facebook, onde o usuário pode controlar que informações divide com os aplicativos, até mesmo os acessados por amigos. Nessas configurações, é possível apenas que você limite o acesso à algumas informações, mas infelizmente continua permitindo que sejam compartilhados os dados públicos, como nome de perfil, foto de perfil e lista de amigos. Mas neste caso não se iluda, porque apenas desmarcando essas opções, o usuário não deixa de aparecer em aplicativos como o Lulu, pois essa ação apenas limita o acesso dos aplicativos a algumas informações como data de nascimento, cidade natal ou preferência política, por exemplo.

A forma mais eficiente de fato, é desativar a plataforma de aplicativos do Facebook. O próprio Facebook em suas políticas afirma que “Se você quiser impedir completamente os aplicativos de obter suas informações quando seus amigos e outras pessoas os usarem, desative todos os aplicativos da Plataforma. Isso significa que você não poderá mais usar quaisquer jogos, aplicativos ou sites integrados do Facebook de terceiros”.

Ao fazer esse bloqueio, nenhuma informação será compartilhada, mas o usuário não vai poder usar nenhum aplicativo ou acessar nenhum site com suas informações da rede social. Ao desativar a plataforma, o usuário não poderá postar suas fotos do Instagram ou seus check-ins do Foursquare no Facebook, tampouco curtir conteúdos em sites ou fazer comentários em portais que usam o login do Facebook como forma de identificação. Isso somente para citar alguns exemplos, mas é o preço da privacidade certo?

As redes sociais realmente delimitam um novo momento da internet e dos próprios relacionamentos, isso é fato! Mas com toda essa evolução, realmente a palavra “privacidade” se tornou questionável… Mas ai, alguém pode dizer: “Se quer privacidade, então porque entrou nas redes sociais?”.

Até a próxima!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *