Não tem lido seus e-mails? Fique tranquilo, o Google está lendo para você!

seguranca-620-sony-size-5981Fiquei intrigado com a notícia esta semana de que a Microsoft criou mais um site fazendo campanha contra o Google. Depois da campanha do “Scroogled”, que nada mais foi do que uma “campanha publicitária” revelando que o Google gosta de enganar as pessoas ao invadir sua privacidade e oferecer publicidade, agora a empresa do Bill Gates tem mais uma novidade: Atacar o Gmail! De acordo com as informações publicadas no www.keepyouremailprivate.com, o Gmail “lê” todas as suas mensagens e palavras dos e-mails para transformar isso em propaganda.

O que me intriga não é a guerra comercial entre as gigantes do mundo tecnológico, e sim o espanto das pessoas em ler esse tipo de notícia! Ora, cá entre nós, alguém aqui ainda acha que essas empresas que armazenam petabytes de informações adoram fazer caridade armazenando nossos dados, sem nenhum benefício próprio?

A Microsoft se disse “chocada” com a forma como o Google utiliza informações privadas dos e-mails para lucrar. Em entrevista ao jornal The Sun, Bill Cox, diretor de estratégias da Microsoft, afirmou que a maioria das pessoas não sabe que estão sendo “bisbilhotadas” pelo Google. O executivo também disse que o serviço de e-mail Outlook.com da Microsoft não faz esse tipo de varredura nas mensagens, será mesmo?

É claro que essa campanha é uma retaliação à campanha que o Google promoveu, para que as pessoas aposentassem seus velhos e-mails, fazendo uma alusão clara aos já tradicionais Hotmail e Yahoo que devem ser “aposentados” segundo eles.

É sabido que Facebook, Google, Microsoft, Yahoo e tantas outras coletam seus dados, isso nunca foi segredo! É claro que todas alegam que esses dados são usados de forma estatística, para melhorar seus serviços e sistemas, e que de forma alguma serão repassados à terceiros.

Por exemplo, o Google é capaz de armazenas todos os lugares por onde andou, todas as suas pesquisas na web, vídeos que assistiu, mapas que acessou, sites e blogs que visitou, e-books que leu, downloads que fez, além de outras atividades, e tudo associado à sua conta do Google.

Mas a Google presta contas à você! Essa configuração pode ser controlada no endereço google.com/history. Neste serviço é possível ver “quase” tudo que foi armazenado sobre você nos banco de dados. Isso é para tornar a maior empresa de buscas do mundo, uma empresa “mais transparente”.

O Facebook não é diferente! Você que sempre deixa uma aba do seu navegador aberta na rede social, saiba que Mark Zuckerberg (foto lado direito) sabe onde você mora, com quem se relaciona, por onde andou, quem são seus parentes, amigos e confidentes, quais as suas afinidades, livros, músicas e filmes preferidos, qual o seu time do coração, e até mesmo sabe “em detalhes” como é seu dia, onde trabalha, e que tipo de consumir você é!

Até mesmo nossas fotos se transformaram em dados legíveis, pois agora Zuckerberg sabe quem está na foto, onde e quando foi tirada e quais as mais populares! Não é maravilhoso o mundo da informação?

Geramos petabytes de dados a cada dia. E estima-se que este volume dobre a cada 18 meses segunda pesquisa da IBM. Estes dados vêm de sistemas corporativos e públicos, gerados por cadastros, questionários on-line, e-mails, mídias sociais (Facebook, Twitter, YouTube e outros), documentos eletrônicos, apresentações multimídia, mensagens instantâneas, sensores, etiquetas RFID, câmeras de vídeo, GPS, etc…

Confesso, sou um aficionado pesquisador deste assunto de armazenamento e análise de dados, que alguns chamam de Big Data! Existem bons projetos nessa área, como o projeto Global Pulse, das Nações Unidas, que utiliza um programa que decifra a linguagem humana na análise de mensagens de texto e posts em redes sociais, para prever o aumento do desemprego, o esfriamento econômico, focos de tensão e epidemias de doenças no mundo.

Eu sei… É assustador imaginar que somos parte de um banco de dados, e que talvez a palavra “privacidade” virou piada! Por isso no final de tudo, o que posso te dizer apenas é: Cuidado, se exponha o mínimo possível!

Até a próxima!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *