Neste mundo, você é leão ou ovelha?

Estou escrevendo este artigo às 23h30min, depois de um dia cansativo. Este mês foi bem atípico para mim, porque passei praticamente 30 dias viajando (para quem é casado e tem um filho de 04 meses isso é tempo demais!) pelo Brasil, e foi em Natal RN que conheci uma história que me deixou intrigado: Um executivo de sucesso que abandonou a carreira para ser bugueiro (piloto de buggy) nas dunas em uma cidadezinha perto de Natal, eu fiz esse passeio de bugue (recomendo, quando forem em Natal…), e então pude conhecer essa história, o que a principio parecia ser loucura, agora me parece bem coerente!

O que alguém que fala mais de um idioma, tem curso superior e MBA faria no meio de gente humilde pilotando um veiculo equipado com um “super” motor de fusca num sol escaldante em meio de um deserto paradisíaco em pleno litoral brasileiro? Parece loucura imaginar que alguém abandone uma carreira para viver uma vida assim, mas depois de ouvir os seus argumentos me convenci: É preciso saber até que ponto não somos ovelhas!

Qual o seu modelo de sucesso? É aquele do terno e gravata e um carro do ano estacionando em um belo prédio na zona nobre da cidade? Caramba! Pense um pouco no preço a ser pago durante o resto de sua vida para ser ter todas essas coisas: horas em engarrafamentos, chefes com egos a flor da pele, impostos devoradores, a ditadura da moda que não mais impera no modo de vestir, mas agora até mesmo nos modelos de celulares que temos (a última coisa que nos preocupamos, é se ele realmente realiza chamadas), e a segurança? Quer mesmo falar de como hoje somos prisioneiros de nossa própria prosperidade? Enjaulados para nos sentir mais seguros? Melhor não…

Daí eu volto para o cenário que vi em uma pequena vila perto de Natal, e me pergunto se meu amigo ex-executivo não deixou de ser uma ovelha para ser um verdadeiro “leão”, ao dizer NÃO para a velha mensagem do sucesso baseado no capitalismo selvagem, e de ter finalmente entendido de que somos leões educados para ser ovelhas.

Uma antiga história nos conta que uma leoa, enquanto saltava de uma colina para outra, deu à luz um filhote no meio do salto. O filhote caiu no meio de um rebanho de ovelhas. As ovelhas alimentaram o filhote sem saber que ele era um leão. E o filhote nunca percebeu que era um leão, pois à sua volta todos eram ovelhas. Ele pensava que era uma ovelha.

As ovelhas são os animais mais medrosos que existem. Nunca andam sozinhas. Estão sempre em grupos, precisando umas das outras. Elas têm medo de ficar sozinhas. É perigoso estar só.

E este pobre leão não tinha nenhuma idéia de como se parecia. Ele cresceu, mas as ovelhas ficaram acostumadas com ele. Elas o tinham criado desde a infância. Ele era considerado uma ovelha muito estranha, mas era uma ovelha, acostumada a comer grama.

Um leão de verdade jamais comeria grama. Ele prefere morrer a comer a grama. Este era um leão vegetariano. E ele nunca rugiu como um leão, porque, afinal, ele nem sabia que era leão.

Ele era medroso como as ovelhas, sonhava como as ovelhas, andava no meio do rebanho para se sentir mais seguro e tinha medo dos animais selvagens. Um dia um velho leão viu esta cena. Ele não podia acreditar nos seus olhos. Ele nunca tinha visto um leão e ovelhas misturados. As ovelhas andavam com o leão sem nenhum medo e o leão estava com medo de estar só.

O velho leão não podia acreditar em seus olhos. Resolveu, então, seguir o grupo. As ovelhas, com medo, começaram a correr. E o jovem leão também corria do mesmo jeito. Mas o velho leão, com esforço conseguiu agarrar o jovem e arrastá-lo para um lago próximo. O jovem leão estava morrendo de medo e chorava como uma ovelha.

Mas no lago, um milagre aconteceu: o velho leão disse ao jovem:

– “Meu filho apenas olhe no lago” – onde os dois estavam refletidos.

E houve uma súbita transformação, porque a ovelha não era uma realidade, era apenas uma falsa idéia implantada pela sociedade em que o leão fora criado. Era apenas uma máscara, mas não era a sua face original. E pela primeira vez ele deu um rugido.

Isso é o que acontece com todos nós. Nós somos leões, nós nascemos leões, mas fomos educados sendo ovelhas. Só nós podemos nos conscientizar de que não somos ovelhas e então decidir dar um rugido e assumir nossa condição de leão, a direção da nossa vida!

Esta é a única chance de resgatar a nossa face original de leão. Meu amigo bugueiro encontrou a felicidade vivendo a vida que sempre sonhou em viver, e como um leão, não teve medo! Enfrentou seus medos e realizou seu sonho, e daí eu te pergunto, qual é o seu sonho? Só existem 02 opções de resposta:

1 – Ser uma ovelha para o resto da vida, e ver o mundo girar enquanto você fica parado.

2 – Girar junto com o mundo, e ser como um leão, que para ser feliz, assume o que realmente é: UM LEÃO!

Agora se como leão você viverá pilotando bugues nas dunas, ou comandando ou tendo uma carreira de sucesso, isso já é outra história…

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Fábio disse:

    Excelente artigo, nos faz refletir sobre nosso dia a dia e gera motivação em cada pessoa que lê.
    parabéns!

  2. Leão na calmaria disse:

    O Senhor Jesus Cristo se apresenta na Bíblia Sagrada como o Leão da tribo de judá e nós (os seus servos) como ovelhas do seu rebanho.Parabéns !

  3. yasmin disse:

    achei muito lega o que vc escreveu.
    pois esta historia nos faz pensar numa série de coisas…

  4. Rodrigo disse:

    Sim Edinaldo,

    Esta história nos faz pensar em uma série de coisas, como por exemplo até que ponto temos nos conformado com o que a vida nos proporciona, ou ainda mais, com o que nós ACHAMOS que a vida pode nos proporcionar, e às vezes, a vida pode nos dar muito mais…

    Valeu pela interação!

  5. Edinaldo Avelino da Silva disse:

    Uma fábula bastante ilustrativa para “vermos” como anda a nossa condição de leão ou ovelha… Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *