Para atingir o sucesso, basta ser feliz!

Tony Hsieh - Ceo da Zappos

Tony Hsieh - Ceo da Zappos

Tony Hsieh vendeu o Zappos.com por 1.2 bilhão de dólares para a Amazon neste ano e o segredo do sucesso desta empresa que vende sapatos pela internet? Felicidade.

No início parecia uma daquelas palestras de auto-ajuda. Mas, convenhamos, o cara tem  centenas de milhões de dólares na conta. Ele não precisa se colocar no nível dessa galera que percorre empresas dando palestras motivacionais. A mensagem de Hsieh é direta: toda empresa precisa ter uma cultura. Não uma série de frases prontas listadas em um quadro de avisos. Algo real, que acionistas, diretores e funcionários acreditem e estejam satisfeitos.

Com um DNA forte, sabendo claramente qual a sua missão no mundo, os esforços de marketing, tanto interno quanto externo são bem menores. A Zappos, em 10 anos de existência, passou a  faturar U$ 10 bi / ano. Só com boca-a-boca, apostando na satisfação (felicidade) dos seus clientes.

Trata-se de um case onde a relação com o cliente foi reinventada. Se você liga para Zappos e eles não possuem o produto que você quer, eles te indicam quem da concorrência tem. E te passam inclusive o telefone / site onde você pode fazer a compra. Por exemplo: em vez de te empurrar algo que você não quer, eles aceitam perder esta venda para  que você fique satisfeito com o atendimento.

Tudo na Zappos gira em torno da felicidade. Funcionários felizes fazem clientes felizes.

A Zappos tem twitter? Tem. É uma ferramenta importante para eles? Claro que é, são mais de 1.500.000 seguidores! Mas não é isso que a credencia uma empresa que sabe aproveitar essas novas oportunidades de se relacionar com o consumidor, de dar um rosto, uma personalidade para a sua empresa. Ela tem twitter e faz sucesso lá porque a ferramenta está perfeitamente alinhada com seu DNA de ser transparente com os seus consumidores.

Isso foi repetido em um outro painel: se sua empresa tem uma cultura, seus funcionários viram agentes potencializadores dela nas redes sociais, sua mensagem fica mais clara, as pessoas te reconhecem, uma comunidade se forma e você conquista seus clientes neste novo cenário onde a opinião, o boca-a-boca, conta tanto.

Antes de pensar em “descer pro play” para testar as tais “mídias sociais”, veja antes o que você tem a falar. E depois quais ferramentas são mais adequadas pra isso.

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Bruno disse:

    Eu acredito que uma empresa que vise apenas lucro ela pode até prosperar, mas nunca vai conquistar as pessoas, vai apenas suprir as necessidades das pessoas… por um tempo!

  2. Milla - Curitiba PR disse:

    Achei legal o texto, mas essa idéia de “tudo gira em torno da felicidade” é meio forçar a barra, porque eu entendo que uma empresa como esta trabalha em uma ramo que é um excessão a regra, mas tá valendo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *